segunda-feira, 30 de agosto de 2010

PRÁ QUÊ, AFINAL, SERVEM OS FILHOS?

Maurelio Menezes


Se for da classe média, sem dúvida alguma, para dar gastos aos pais. Há discordância entre os números. Para alguns estatísticos, uma criança de classe média, somente no primeiro ano de vida, faz com que os pais gastem algo em torno de 25 mil reais. Até entrar num curso superior, este custo sobe para 300 mil reais. Para outros estatísticos, entretanto, o gasto é bem maior. Chega a 800 mil reais quando o filho estiver terminando a faculdade.
Mas, se não for da classe média, tanto quanto aqueles que o são, filhos servem para muitas outras coisas.
Filhos servem, também, para dor de cabeça aos pais. Primeiro quando, ainda bebês, passam noites acordados. É uma dorzinha aqui, outra ali e lá se vão horas de insônia sem fim. Depois, já mais crescidinhos, os problemas são outros. Será que está tudo bem no prezinho? E aquele chatinho do coleguinha que morde o coitadinho todos os dias... Ah! Se eu pego ele!!! Passa o tempo, muda o cenário e o motivo da dor de cabeça. Mas ela persiste. Se for filha vem logo aquele pensamento inevitável: todos os rapazes do mundo estão de olho em minha princesinha. É preciso tomar alguma providência urgente para afastar esses abutres. Se for filho o pensamento é parecido, só muda o sexo: Lá vem aquela sirigaita de novo... Ah! Aquela oferecida!!! Tanto para a filha quanto para o filho a dor de cabeça nos dias de hoje tem, também, outro motivo, muito mais sério: as drogas. Será que ele (ou ela) está andando em boa companhia? Sim, porque a culpa é sempre da companhia e nunca de nossos filhos.
Filhos servem, também, para pegar escondido o carro do pai e da mãe. Antes dessa fase servem, por exemplo, para ter uma iniciativa do tipo lavar o carro usando uma esponja de aço na lataria. Mas nesse caso eles se justificam: como o carro é novinho e na última chuva ficou muito sujo, quis deixá-lo bem limpinho para agradar ao papai e à mamãe.
Filho, quando pequeno, é claro, serve para você entrar no seu banheiro (aquele que você pediu à empregada para lavar e deixar cheirosinho) e sentir que alguém fez xixi fora do lugar. Pior ainda quando o cheiro é de cocô... Filha serve para usar aquele batom que a mãe ganhou do pai no dia do aniversário... Aquele,MAC, especial, caríssimo... Quando crescem, os dois servem para tomar aquela cerveja que você colocou no congelador.. Servem também para comer o último restinho do seu doce favorito.
Filhos servem para você perder a paciência, sofrer, se preocupar, para obrigar você sair à noite para ir buscá-los, virar a cara para seu melhor amigo porque ele deu uma bronca no pobrezinho, brigar com o Colégio, deixar de fazer muitas viagens, de sair muitas noites... Filhos servem para tanta coisa, que nem é bom pensar.
Filhos servem, por exemplo, para nos olharmos no espelho e nos perguntarmos: que tipo de pai eu seria se não tivesse filhos? Se não fosse por eles, eu saberia ser pai? Filhos servem para nos ensinar a sermos pais. Para nos ensinar que o mundo tem pessoas diferentes. Como eles e a gente, por exemplo. Para nos ensinar que um sorriso significa mais que qualquer outra coisa no mundo. Para nos ensinar que muitas vezes somos injustos exatamente por querermos ser justos. Para nos ensinar que a vida é feita e só tem razão de ser por pequenos e tão simples detalhes quanto um garrancho num caderno, um risco na parede, um desenho numa folha (aquela última que você tinha na impressora e estava guardando para imprimir um documento importante). Filhos servem para nos ensinar que a vida é assim...
Filhos servem para fazer de nós, pais, seres melhores, menos adultos embrutecidos e mais crianças inocentes. Para nos fazer mais, muito mais, felizes do que seríamos se eles não existissem. Filhos servem e existem para nos matar de saudade quando ficamos um pouquinho longe deles. Filhos servem, enfim, para nos dar um ensinamento que não há estatístico que consiga calcular o preço. Filhos servem para nos ensinar a viver.

Um comentário:

  1. Filhos! Sempre presentes, mesmo na ausência. Reclama-se do custo, do trabalho, da preocupação, Lembramos do sorriso, das pequenas carícias que nos fazem com o olhar, as mãos.

    Nos custam tanto porque queremos controla-los. Como ao vento. Ao mar. Ou ao fogo. Filho se deixa livre, educa-se com o exemplo. Explica-se com as ações. FIlho é bem precioso, desejado ou não. Só quem lutou para ter o seu, perdeu um, dois ou três, não pode tê-los mais é que sabe o valor que tem.

    Assim, dinheiro se ganha. Noites insones se recuperam quando em sua idade adulta eles saírem voando para voltar só a primavera.

    Filhos são a garantia de nossa imortalidade. E abençoadao quem sabe que eles são pessoas únicas.

    ResponderExcluir